Pesquisar este blog

domingo, 22 de abril de 2012

Tim Maia - O Musical

Assisti ontem Tim Maia - Vale Tudo, o musical, e conheci outro Tim Maia (1942-1998). No palco sete músicos e onze artistas que cantavam e representavam vários papéis como os da família do Tim Maia e das personalidades Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Jorge Benjor, Elis Regina, Chico Buarque, Edu Lobo, Carlos Imperial, Nelson Motta, entre outros. O elenco era composto por: Izabella Bicalho, Lilian Valeska, Pedro Lima, Reiner Tenente, Evelyn Castro, Pablo Ascoli, Bernardo La Rocque, Andreh Vieri, Aline Wirley, Leticia Pedrosa e a grande revelação Tiago Abravanel no papel principal. O cenário era enxuto com nada de mais e nada de menos e sem muita criatividade. O figurino idem. Mas nada disso ganha importância perto do talento e da voz do protagonista Tiago em três horas de espetáculo.

No repertório as canções: Eu Amo Você, Azul Da Cor Do Mar, Primavera, Não Vou Ficar, These Are The Song, Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar), Imunização Racional (Que Beleza), Acenda O Farol, Do Leme Ao Pontal, Réu Confesso, Sossego, Vale Tudo, entre outras.  

O musical é baseado no livro Tim Maia - Vale Tudo, de Nelson Motta, e remonta a vida do artista dos 12 aos 55 anos. Nelson Motta conheceu o Tim Maia em 1969 quando estava produzindo o disco Em Pleno Verão, 1970, para a Elis Regina, e apresentou ao mundo o vozeirão do cantor num dueto com a faixa These Are The Songs. A direção é de João Fonseca. A temporada começou no Rio de Janeiro no ano passado e está com os ingressos esgotados até junho aqui em São Paulo. Tiago faz questão de dizer isso no encerramento da peça e pede para o público prestigiar mais o teatro e agradece emocionado à todos.

Revelação a parte, é curioso descobrir sobre a vida de um cantor - foi assim também com o Raul Seixas - num musical. Após sua morte, Tim Maia recebeu várias homenagens e um especial na TV Globo no programa Por Toda Minha Vida, mas enquanto era vivo não passava de um sujeito encrenqueiro, indisciplinado, exigente, drogado e mal visto pela mídia. Confesso que não curtia muito a pessoa, os fatos contribuíam para isso. Descobri a importância desse grande talento da música brasileira quando recorri à biografia da Elis e li sobre a parceria musical deles. Elis era muito exigente e só dava espaço para quem realmente tinha talento. Numa trajetória com 28 discos de estúdio e quase 300 músicas gravadas, Tim deixou um legado que fala, sobretudo, do amor.

Segue o foto clipe da música Eu Amo Você, do 1º álbum Tim Maia, 1970, do Rei da Black Music Soul.
video

Nenhum comentário:

Postar um comentário