Pesquisar este blog

terça-feira, 22 de maio de 2012

Eternamente eterna

Há oito anos minha amada mãe Wilma foi morar mais perto de Deus. É difícil falar algo sobre quem me colocou nesse mundo, que me ensinou tudo o que precisei para ser uma pessoa digna, honesta e amável, sem se emocionar e sentir um aperto no peito. 

Com ela aprendi: amar, rir, me comunicar, falar, andar, cantar, comer, escrever, desenhar, me vestir, tomar banho, escovar os dentes, pentear o cabelo, ser educado, dizer obrigado, pedir licença, fazer café, fazer bolo, limpar a casa, receber visita, ser organizado, além de tantas outras coisas. Passamos muito tempo juntos, mais que o normal, mais que o comum, mais que o necessário para a minha sobrevivência. Dei muito trabalho para a minha mãe que se desdobrava para criar meus três irmãos. E ainda tinha que ter tempo para ser esposa, ser mulher e batalhar muito para que nada nos faltasse. 

A foto ao lado foi tirada em dezembro de 1998, na casa da mana Rosely. Estávamos cantando com o karaokê, se não me falha a memória, uma música da Elis Regina, talvez Folhas Secas. Minha mãe gostava de várias músicas que eu escutava, tinha o hábito de cantarolar junto e dançar comigo enquanto o disco rodava na vitrola. Destaque para mais oito músicas que ela gostava: Só De Você - Rita Lee, Dois Pra Lá, Dois Pra Cá - Elis Regina, Bem Que Se Quis - Marisa Monte, Nada MaisLua De Prata - Gal Costa, Kiss A Fool - George Michael, True Blue - MadonnaGreatest Love Of All - Whitney Houston.

Na distante lembrança ficam entre tantas coisas: a atenção dos seus olhos, o cuidado das suas mãos, o carinho das suas palavras e o amor incondicional do seu coração. Te amo mãe!!

Só De Você, 1982
video

5 comentários:

  1. Realmente nem parece que faz tudo isso tio. Acho que todos nós sabemos como essa mulher maravilhosa fazia diferença e era incrivelmente amável, doce, carinhosa, e todas outras milhões de coisas que poderiam ser ditas. Minha Avó, minha querida Vovó, algum dia estaremos todos juntos matando a saudades que sentimos hoje da senhora. Amor de Vó é amor de mãe duas vezes, e de neto não seria ao contrário. Te amo, te amo e te amo Vovó, continue com o papai do Céu cuidando e olhando por nós.

    Júlia

    ResponderExcluir
  2. É Beto, hj o dia tá dificil... lembrar da mamãe e da falta que ela faz, lembrar da atenção que ela nos dava, do carinho, do amor.... ela se foi e nem pude me despedir... a distância e o tamanho dessa cidade me impediu...a coisa boa que pude fazer por ela, foi o último almoço de dia das Mães que fiz para ela, o strogonoff que ela tanto gostava... e como brincamos aquele dia, como rimos...
    as músicas que me fazem lembrar da mamãe são as da Doris Day... não consigo me controlar qd escuto... parece que ela esta cantarolando junto... que Deus me dê a graça de reencontrar a minha mãe....
    Mãe. te amo.. sinto sua falta..

    ResponderExcluir
  3. Ah que fofo Ju! Com certeza ela olha e ora por nós. Beijão.
    Mana, realmente não tem como não associar a Doris Day com a mamãe né? Ela adorava. Ainda vou escrever sobre isso. Com certeza nos veremos todos reunidos novamente. Pode apostar! Beijão.

    ResponderExcluir
  4. Ai papain... muita saudade mesmo... tia Mag, não sinta-se mal... eu fui a única que não estive presente nesse dia das mães... consegui visitá-la no dia 12, uma terça-feira... levei quindim e mortadela, que ela estava com vontade! Comeu com gosto... Conversamos bastante, demos risadas, e dias depois ela se despediu, ao meu lado... foi muito triste, mas um momento cheio de luz, ela se curou e encontrou a paz, tenho certeza!

    Muitas saudades da minha vózinha querida, minha bonequinha... E lembro muito dela (parece mesmo que canta em meu ouvido), qdo ouço Dóris Day ("When I was just a little girl.."), Time of my Life, trilha de Dirty Dancing, "Dó, um dia, um lindo dia, Ré reluz, é ouro em pó, Mi, é assim que eu chamo a mim, Fá, é fácil decoraaaar..." de Noviça Rebelde!!!

    Como ela gostava... Papain, faz um post sobre isso!!!

    E nosso amor será eternamente eterno por vc Vó!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Bebeim, tudo ocorreu como tinha de ser. E o legal disso tudo é que a sua avó gostava de músicas alegres e pra cima. Ela sentia-se feliz assim, cantando e dançando, e vivendo um pouco do seu sonho, o sonho de ser bailarina. Obrigado pelo seu depoimento. Beijão.

      Excluir